Richard Zimler comenta: Gueto de Varsóvia vs. Faixa de Gaza Reviewed by Momizat on . Nesta entrevista a Richard Zimler, escritor, que escolheu ser também português - ele que nasceu norte-americano, no seio de uma família judia - conduzida por Jo Nesta entrevista a Richard Zimler, escritor, que escolheu ser também português - ele que nasceu norte-americano, no seio de uma família judia - conduzida por Jo Rating: 0

Richard Zimler comenta: Gueto de Varsóvia vs. Faixa de Gaza

Nesta entrevista a Richard Zimler, escritor, que escolheu ser também português – ele que nasceu norte-americano, no seio de uma família judia – conduzida por João Céu e Silva e publicada no DN de hoje, a propósito do lançamento da sua nova obra “Os Anagramas de Varsóvia”, retiro o seguinte exerto, onde Zimler aborda a questão israelo-palestestina (o destaque é meu):

“/…
JCS – “Há judeus que não aprendem as lições da história.” Disse-o há tempos; ainda pensa assim?

RZ – Sim. Já não tenho muita confiança em que consigamos aprender com a história.

JCS – Os judeus ou toda a gente?

RZ – Todo o mundo, basta ver o exemplo da guerra no Iraque. Foi dito pelo Governo Bush – e pelos jornalistas também – que o povo iraquiano iria receber de braços abertos as tropas norte-americanas. Só que quem viveu a guerra no Vietname, como eu, em jovem nos EUA, sabia que isso era impossível e uma mentira. Mesmo assim, votaram duas vezes em Bush. Quanto mais não seja, só por isso já perdi a fé nos ensinamentos da história. Quanto aos judeus, fazem parte da humanidade que nada aprendeu. Não me esqueço que os meus parentes europeus morreram todos nos campos antes de serem internados nos guetos de Varsóvia e Lodz. Se eu quiser ser mais controverso, diria que neste livro sobre o gueto de Varsóvia há judeus que não entenderam que encurralar um povo numa pequena secção da cidade e negar-lhe condições humanas não é opção.

JCS – E tem correspondência actual?

RZ – A Faixa de Gaza, por exemplo. O gueto de Varsóvia está para aquela altura como a situação desta região hoje. Há diferenças, evidentemente, o regime não é nazi e não há qualquer tentativa por parte de Israel em exterminar os palestinianos.

JCS – Não há paralelismo mesmo?

RZ – De exterminar, não. De delimitar, sim, e de colocar aquele povo num pequeno canto do Médio Oriente. Mas esse é só um exemplo, temos imensos casos de crueldade humana em África. Concluindo, não aprendemos muito com a história.

…/”

Eu penso que a maioria dos israelitas não pretenderá extreminar os palestinos. No entanto existem sectores extremistas e radicais e que estão representados no actual Governo de Israel que tem essa agenda. Aliás se assim não fosse não teriam acontecidos os crimes de guerra e contra a humanidade que se verificaram durante a “Guerra de Gaza”, da responsabilidade das forças armadas israelitas.

Deixe um comentário

Você deve ser logged em para postar um comentário.

Voltar para o topo