Origens do conflito entre Israel e a Palestina Parte VI Reviewed by Momizat on . A História do Terrorismo na Região Nota do Editor: Acreditamos que o assassinato de crianças está errado seja em que caso for. Deste modo, não podemos tolerar o A História do Terrorismo na Região Nota do Editor: Acreditamos que o assassinato de crianças está errado seja em que caso for. Deste modo, não podemos tolerar o Rating: 0

Origens do conflito entre Israel e a Palestina Parte VI

A História do Terrorismo na Região

Nota do Editor:
Acreditamos que o assassinato de crianças está errado seja em que caso for. Deste modo, não podemos tolerar o uso de terrorismo por extremistas palestinos, especialmente durante os anos 70. Dito isto, contudo, é necessário examinar o contexto no qual estes acontecimentos tiveram lugar.

Ouvimos falar abundantemente do terrorismo palestiniano. O que é que há a respeito dos israelitas?

“…O relatório acerca do terrorismo israelita data das origens do estado respectivo – ou, muito antes, com efeito – incluindo:
– O massacre de 250 civis e a expulsão brutal de setente mil outros de Lydda e Ramle em Julho de 1948;
– O massacre de centenas de outros na indefesa localidade de Doueimah, perto de Hebron em Outubro de 1948;
– As matanças de Quibya, Kafr Kassem e uma lista de outras localidades assassinadas;
– A expulsão de milhares de beduínos das zonas desmilitarizadas pouco depois da guerra de 1948, e de milhares de outros do Nordeste do Sinai no começo dos anos 70, incluindo a destruição das suas localidades, para abrir a região à colonização judaica;
– e uma longa lista de etc….”
In: “Blaming The Victims”, de Noam Chomsky, ed. Said and Hitchens.

“…Por muito que se lamente e até se deseje de certo modo vingar as perdas de vidas e o sofrimento de inocentes devido à acção dos palestinianos, penso que ainda é necessário dizer que nenhum movimento nacional como o deles foi tão injustamente penalizado pelos seus pecados, difamado e sujeito a represálias desproporcionadas.

A política de contra ataques punitivos de Israel (ou terrorismo de estado) parece ser a de tentar matar 50 a 100 árabes por cada baixa israelita. A devastação dos campos de refugiados no Líbano, hospitais, escolas, mesquitas, igrejas e orfanatos; as prisões sumárias, deportações, destruição de habitações, as mutilações, as torturas de palestinos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza… tudo isso e o número de palestinianos mortos, a escala das perdas materiais, as privações físicas, políticas e psicológicas, excederam de forma tremenda o prejuízo causado pelos palestinianos aos israelitas…”
In: “The Question os Palestine” de Edward Said.

O preconceito do Governo dos USA e dos meios de comunicação sobre o terrorismo no Médio Oriente

“…É simplesmente extraordinário e sem precedentes que a história de Israel – levando em conta que se trata de um estado baseado em conquista e invasão de território de países circundantes, bombardeamento e destruição à vontade, e considerando ainda que ocupa actualmente, contra a legislação internacional, territórios que foram parte do Líbano, da Síria e da Palestina – o seu passado nunca é citado, nunca sujeito a apreciação nos meios de comunicação da América do Norte e nunca mencionado nos discursos oficiais… e nunca referido como parte actuante em nenhum processo causador do “terror Islâmico”…”

Deixe um comentário

Você deve ser logged em para postar um comentário.

Voltar para o topo