Judeus brasileiros iniciam movimento para que Estado Palestino seja reconhecido Reviewed by Momizat on . Judeus brasileiros iniciam movimento para que Estado Palestino seja reconhecido SEX, 28/11/2014 - 15:52 ATUALIZADO EM 28/11/2014 - 22:05 Enviado por Sérgio Stor Judeus brasileiros iniciam movimento para que Estado Palestino seja reconhecido SEX, 28/11/2014 - 15:52 ATUALIZADO EM 28/11/2014 - 22:05 Enviado por Sérgio Stor Rating: 0

Judeus brasileiros iniciam movimento para que Estado Palestino seja reconhecido

Judeus brasileiros iniciam movimento para que Estado Palestino seja reconhecido

SEX, 28/11/2014 – 15:52
ATUALIZADO EM 28/11/2014 – 22:05

Enviado por Sérgio Storch

Uma onda dissidente na comunidade judaica brasileira vem acumulando forças, e se articulando com setores importantes no movimento dentro de Israel pelo fim da ocupação. Às vésperas do Dia Mundial de Solidariedade ao Povo Palestino,  judeus brasileiros que incluem lideranças de vários grupos juvenis e dezenas de intelectuais, artistas e profissionais liberais de 7 das maiores cidades brasileiras, e também pessoas residentes na Austrália, Israel e Turquia, divulgam uma carta de apoio a iniciativa de 660 israelenses, que pedem a parlamentares da União Europeia para atuarem para que seus países reconheçam o Estado Palestino.

O movimento responde também à tensão derivada de ações do governo Netanyahu com provocações aos palestinos na questão de acesso aos lugares sagrados, e com um projeto de lei submetido ao Knesset (Parlamento), que pretende instituir oficialmente a discriminação a não-judeus.

Diferente de iniciativas pontuais anteriores, desta vez a campanha prosseguirá acumulando força para catalisar outras iniciativas na Diáspora que fortaleçam os setores em Israel que resistem à direitização e ao racismo crescentes na sociedade israelense. A expectativa dos organizadores (rede JUPROG – Judeus Progressistas) é alcançar 1000 assinaturas qualificadas em 60 dias (120 foram obtidas em 10 dias, e agora se inicia um processo multiplicativo pelas redes sociais).

 

Esse movimento ocorre num contexto em que até nos Estados Unidos, que tem a maior comunidade judaica fora de Israel, com população quase equivalente, já se produziram rupturas no coração do establishment judaico (*).

A carta aberta (com versão em inglês para ser utilizada em Israel e outros países) encontra-se neste link: http://bit.ly/1BYsbVt, onde está linkada a página com assinaturas até 27/11.

(*) Henry Siegman, Leading Voice of U.S. Jewry, on Gaza: “A Slaughter of Innocents” | Democracy Now! – líder do American Jewish Congress – http://bit.ly/1wyv474

Deixe um comentário

Você deve ser logged em para postar um comentário.

Voltar para o topo