Esquivel, Chomsky, Rigoberta Menchú e outros 61 intelectuais exigem embargo militar contra Israel Reviewed by Momizat on . Esquivel, Chomsky, Rigoberta Menchú e outros 61 intelectuais exigem embargo militar contra Israel Sessenta e três intelectuais exigem, em um comunicado conjunto Esquivel, Chomsky, Rigoberta Menchú e outros 61 intelectuais exigem embargo militar contra Israel Sessenta e três intelectuais exigem, em um comunicado conjunto Rating: 0

Esquivel, Chomsky, Rigoberta Menchú e outros 61 intelectuais exigem embargo militar contra Israel

Esquivel, Chomsky, Rigoberta Menchú e outros 61 intelectuais exigem embargo militar contra Israel

Sessenta e três intelectuais exigem, em um comunicado conjunto, o embargo militar contra Israel. Entre os signatários encontram-se o Prêmio Nobel da Paz, da Argentina, Adolfo Pérez Esquivel, bem como seus colegas Desmond Tutu, da África do Sul, Rigoberta Menchú, da Guatemala, Mairead Maguire, da Irlanda, Jody Williams, dos Estados Unidos, e Betty Williams, da Irlanda do Norte.

Segundo destaca o comunicado dos intelectuais, “a capacidade de Israel para colocar em andamento esse tipo de ataques devastadores com impunidade provém, em grande parte, da vasta cooperação militar internacional e do comércio de armas que Israel mantém com governos cúmplices de todo o mundo.”

A carta foi publicada pelo jornal ‘The Guardian‘.”Fazemos um chamado às Nações Unidas e aos governos de todo o mundo a tomar medidas imediatas para aplicar contra Israel um embargo militar integral e legalmente vinculante, similar ao imposto à África do Sul durante o apartheid,” assinala o documento.

“Israel desatou mais uma vez toda a força de seu exército contra a população palestina cativa – inicia o texto–, sobretudo na sitiada Faixa de Gaza, em um ato desumano e ilegal de agressão militar. O atual ataque de Israel contra Gaza, até o momento, matou muitos civis inocentes, causou centenas de feridos e devastou a infraestrutura civil, incluindo o sector de saúde, que já estava gravemente deteriorado.”

Também assinaram o texto: o músico britânico Roger Waters, a escritora estadunidense Alice Walker, o teólogo da libertação brasileiro Frei Betto, o sindicalista sul-africano Zwelinzima Vavi, seu colega brasileiro João Antonio Felício, o filósofo esloveno Slavoj Zizek, o acadêmico israelense Nurit Peled, o britânico ex-presidente do PEN Gillian Slovo e a escritora indiana Gita Hariharan.

“A partir de 2008, os EUA começaram uma ajuda militar a Israel que alcançaria 30 bilhões de dólares, enquanto que as vendas militares anuais israelenses para o mundo chegam a bilhões de dólares. Nos últimos anos, os países europeus exportaram armas para Israel por valores em bilhões de euros, e a União Europeia tem financiado as empresas militares e as universidades israelenses com bolsas de pesquisa no âmbito militar por um valor de centenas de milhões de euros”,assinala o documento.

Os intelectuais acusam os países emergentes de apoiar por palavras a Palestina, enquanto financiam as campanhas repressivas de Israel. “As economias emergentes, como Índia, Brasil e Chile, aumentam rapidamente seu comércio e cooperação militar com Israel, apesar de que afirmem apoiar os direitos palestinos.”

Entre os signatários também aparecem Federico Mayor Zaragoza, ex-diretor geral da Unesco, da Espanha; Chris Hedges, jornalista, Prêmio Pulitzer 2002, dos EUA; Boots Riley, rapper, poeta, produtor de artes, dos EUA; e Noam Chomsky, filósofo, analista político, dos EUA.

Lea publicación en el The Guardian: http://www.theguardian.com/world/2014/jul/18/arms-trade-israel-attack-gaza

Fuente: Regeneración.mx

El Ciudadano

http://www.elciudadano.cl/2014/07/22/109478/noam-chomsky-rigoberta-menchu-y-otros-62-intelectuales-exigen-embargo-militar-a-israel/

Deixe um comentário

Você deve ser logged em para postar um comentário.

Voltar para o topo