ESCRITO NO TRONCO DE UMA OLIVEIRA Reviewed by Momizat on . Tawfiq Zayyad Porque eu não fio lã Porque eu estou exposto cada dia A uma ordem de prisão E minha casa à mercê De visitas policiais De averguaçãoes Das operaçõe Tawfiq Zayyad Porque eu não fio lã Porque eu estou exposto cada dia A uma ordem de prisão E minha casa à mercê De visitas policiais De averguaçãoes Das operaçõe Rating: 0

ESCRITO NO TRONCO DE UMA OLIVEIRA

Tawfiq Zayyad

Porque eu não fio lã
Porque eu estou exposto cada dia
A uma ordem de prisão
E minha casa à mercê
De visitas policiais
De averguaçãoes
Das operações de limpeza
Porque não me é possível
Comprar papel
Gravarei tudo o que me acontece
Gravarei todos os meus segredos
Numa oliveira
No pátio
De meu lar
Gravarei minha história
E o retábulo de meu drama
E meus suspiros
Em meus jardim
E nas tumbas dos meus mortos
E gravarei
Todas as amarguras
Que um décimo das doçuras que virão apagará

Gravarei o número
De cada cavalaria despojada de nossa terra a
localização de minha aldeia, seus limites
As casas dinamitadas
Minhas árvores arrancadas
Cada florzinha esmagada
Os nomes dos que se deleitaram
Em descompor meus nervos e minha respiração
Os nomes das prisão
As marcas de todas as algemas
Fechadas em meus punhos
As botas de meus carcereiros
Cada juramento
Atirdo em minha cabeça

E gravarei
Kafr Kassem
Eu não o esquecerei
E gravarei
Deir Yassin
Tua lembrança me tortura
E gravarei
Atingimos o cume da tragédia
Gravarei tudo o que o sol me mostra
A lua me murmura
O que me conta a rola
Nos poços
Dos quais os namorados se exilaram
Para que eu lembre
Ficarei de pé para gravar
Todo o retábulo de meu drama
E todas as etapas de derrota
Do infinitamente pequeno
Ao infintimente grande
Sobre um tronco de oliveira
No pátio
de meu lar

Deixe um comentário

Você deve ser logged em para postar um comentário.

Voltar para o topo