CONTOS CUBANOS Reviewed by Momizat on . CONTOS CUBANOS 20/04/2007 Mahmud Darwish I Não tenho tempo agora De contar as histórias dos mártires Não tenho tempo Os lábios das feridas em curso Me sangram.. CONTOS CUBANOS 20/04/2007 Mahmud Darwish I Não tenho tempo agora De contar as histórias dos mártires Não tenho tempo Os lábios das feridas em curso Me sangram.. Rating: 0

CONTOS CUBANOS

CONTOS CUBANOS

20/04/2007


Mahmud Darwish

I
Não tenho tempo agora
De contar as histórias dos mártires
Não tenho tempo
Os lábios das feridas em curso
Me sangram… devoram meus últimos instantes
Mas tu não chores
Meu sangue é um fio de azeite
Que alimenta a lâmpada da liberdade
Não chores tu
Enquanto cuba esteja em pé

II
Mãe
As lágrimas sobre mártires vivos
São uma grande vergonha
Ora pela terra verde
Que seja pródiga em pãos para seus filhos
Reza pelos vivos
Que permaneçam anos em sua pátria
Não comi meu pão… Ó mãe
Os inimigos se fartaram… inclusive de minha carne
E amanhã… os corvos dos bosques negros
Disputarão meu corpo
Mas ficarão o pão e Cuba
Para os cubanos livres

III
Minha tumba Ó mãe… minha tumba não tem endereço
Eu vivo em todas as partes
Caminho… e não tenho pernas
Falo… e não tenho língua
Vejo… e não tenho olhos
Eu vivo em todas as partes
Sou o deus deste século
Filho de Revolução… e da dor

Deixe um comentário

Você deve ser logged em para postar um comentário.

Voltar para o topo