CARTA ÀS CRIANÇAS DA MARGEM ORIENTAL

Fadwa Toqan Queridas crianças Do outro lado do rio Queridas crianças Tenho para vocês Muitas histórias Diferentes de Simbad o Marujo Diferentes de O Gênio é o Pescador Da de Qamar Azzamane e a Princesa Tenho para vocês Novas histórias Mas temo que ao contar-lhes as peripécias Afogue a luz do universo de vocês Turve a paz e a serenidade Da ilha da inocência Temos pelo pequeno mundo de vocês Histórias de enca ...

Ler mais

COMO NASCEM AS CANÇÕES

Fadwa Toqan Tiramos as canções Do teu coração, velho e cansado E no denso mar da escuridão Com a luz do amor Com holocaustos e glórias, as amassamos Colocamos nelas a força da pedra e das rochas E depois as depositamos no teu limpo e claro seio Ó povo combatente e sofrido! ...

Ler mais

DIÁRIO DE MAZEN (1)

Fadwa Toqan  Me sento para escrever... Que posso escrever hoje? Para que servem minhas palavras? Direi: ó povo meu!ó minha pátria! Para quê? Por acaso não é absurdo Sentar-se, hoje, para escrever? Por acaso minha palavra protegerá a minha pátria? Por acaso as palavras salvarão o meu povo? Hoje Todas as palvras São de sal Onde nada cresce Onde nada floresce Hoje No cúmulo da tristeza Uma luz deslizou no seu ...

Ler mais

Confissão de um terrorista

Ocuparam minha pátria Expulsaram meu povo  Anularam minha identidade E me chamaram de terrorista   ******** Confiscaram minha propriedade Arrancaram meu pomar Demoliram minha casa E me chamaram de terrorista             ********** Legislaram leis fascistas Praticaram odiada apartheid Destruíram, dividiram, humilharam E me chamaram de terrorista             *********** Assassinaram minhas alegrei as, Seqüest ...

Ler mais

Quando os sionistas invadiram a Palestina

Um dia vieram e expulsaram meu vizinho que era muçulmano. Protestei. Me mandaram calar porque não sou muçulmano. Hoje o meu novo vizinho fala uma língua estranha. No ano seguinte, vieram e expulsaram meu outro vizinho que era cristão. Protestei. Me mandaram calar porque não sou cristão. Hoje o meu outro vizinho fala uma língua mais estranha ainda. Anos depois vieram e expulsaram meu vizinho que era judeu. P ...

Ler mais

Palestina, Palestina

Georges Bourdoukanm Jornalista e escritor Para Hannan Ashrawi Às profundezas da história, À impiedade e ao medo, À realidade invisível, À ocupação e à exclusão, Ao ocidente que buscou aliviar a culpa de seus anti-semitas, Uma nação torturada resiste! O coração palestino palpita. Tentam abafar seu grito de liberdade, Suas pedras revidam contra a injustiça, Contra o racismo e a intolerância! A estrela busca a ...

Ler mais

NESTA ALDEIA

NESTA ALDEIA Sérgio Muylaert a Fadwa Tuqan O chão liso, O saibro, O sangue dos milênios, A encosta, a força bruta, Os abutres rondam A estrada limpa, a gruta, O Vazio. Nos casebres, O impensável da miséria rasa, O império do nada, A febre do desterro, Nos cárceres, O cheiro podre, o lodo ressecado, O genocídio das metralhas, Das metralhas, rá-tá-tá-tá-tá, Rombos nas paredes, Nas paredes, As vestes de crianç ...

Ler mais

A poesia palestina de resistência: O cantar dos que não se rendem

  Apesar da forte repressão à arte popular — “A democracia israelense não suporta que os palestinos cantem”, disse uma vez o poeta Tawfic Zayyad — a poesia daquele povo árabe não é “marginal”. Como disse o peruano Julio Carmona, “marginal é a poesia que a estética dominante pontifica ou institucionaliza; ao se tomar o povo como pedra de toque (e sempre o povo tem a última palavra em tudo) a única poesi ...

Ler mais

O longo inverno de Rita*

   Mahmud Darwish Rita ajeita a noite de nosso quarto: parece pouco este vinho, e estas rosas parecem maiores que a cama. Abro a janela, porque me pede, e assim a noite destila. Põe, aqui, uma lua em cima da cadeira: e em cima põe um lago enrolando o meu lenço para que a palmeira cresça cada vez mais. Já te vestiste de outra, além de mim? Alguma vez te habitou alguma mulher e soluçou a cada vez que teu ...

Ler mais
Voltar para o topo