BASTA-ME MORRER NELA

Fadwa Toqan    Basta-me morrer nela Soterrar-me nela Na sua terra fértil dissolver-me, acabar-me E nascer dela, feita erva Feita flor, com a que brinque Uma criança do meu país Basta-me continuar na minha terra Pó, erva e flor... ...

Ler mais

Biografia Fadwa Tuqan

Fadwa Tuqan, palestina, nascida em Nablus no ano de 1914. Irmã de Ibrahim e pertencente a uma respeitada família de intelectuais e políticos, alguns dos quais colaboraram com o governo jordaniano. Educou-se em escolas cristãs. Tem vivido praticamente sem interrupções em sua cidade natal, em meio a um certo clima de recolhimento e semi-clausura, ainda que tenha também participado publicamente, por vezes, da ...

Ler mais

PARTO

Fadwa Toqan O vento arrasta as sementes E nossa terra treme, na noite, com as dores do parto O carrasco engana-se Repetindo para ele mesmo a história da incapacidade A história das ruínas e os escombros Ó h nossa jovem manhã! Conte você ao carrasco Como são as dores do parto Conte a ele como nascem as margaridas Da dor da terra E como a manha se ergue Das rosas de sangue das feridas. ...

Ler mais

SEMPRE VIVO

Fadwa Toqan Não, querida pátria Apesar de tudo, na planíce Sombria Na pedra da dor Não poderão, nosso amor Arrancar teus olhos Não poderão Deixa que sufoquem os sonhos e a esperança Deixa que preguem na cruz a liberdade de construir e trabalhar Que roubem os risos das crianças Que queimem Que destruam Da propria miséria Da nossa tristeza Do sangue seco nas nossas paredes Do tremor da vida e da morte Novamen ...

Ler mais

CARTA ÀS CRIANÇAS DA MARGEM ORIENTAL

Fadwa Toqan Queridas crianças Do outro lado do rio Queridas crianças Tenho para vocês Muitas histórias Diferentes de Simbad o Marujo Diferentes de O Gênio é o Pescador Da de Qamar Azzamane e a Princesa Tenho para vocês Novas histórias Mas temo que ao contar-lhes as peripécias Afogue a luz do universo de vocês Turve a paz e a serenidade Da ilha da inocência Temos pelo pequeno mundo de vocês Histórias de enca ...

Ler mais

COMO NASCEM AS CANÇÕES

Fadwa Toqan Tiramos as canções Do teu coração, velho e cansado E no denso mar da escuridão Com a luz do amor Com holocaustos e glórias, as amassamos Colocamos nelas a força da pedra e das rochas E depois as depositamos no teu limpo e claro seio Ó povo combatente e sofrido! ...

Ler mais

DIÁRIO DE MAZEN (1)

Fadwa Toqan  Me sento para escrever... Que posso escrever hoje? Para que servem minhas palavras? Direi: ó povo meu!ó minha pátria! Para quê? Por acaso não é absurdo Sentar-se, hoje, para escrever? Por acaso minha palavra protegerá a minha pátria? Por acaso as palavras salvarão o meu povo? Hoje Todas as palvras São de sal Onde nada cresce Onde nada floresce Hoje No cúmulo da tristeza Uma luz deslizou no seu ...

Ler mais
Voltar para o topo