21/03/2011 – Vídeo enviado por amjadmath El poeta palestino Mahmud Darwish-محمود درويش El cantante libanes Marcel Khalife- مارسيل خليفة A MI MADRE Añoro el pan de mi …

A mi madre (Mahmud Darwish) إلى امي...محمود درويش - YouTube ► 7:02► 7:02 www.youtube.com/watch?v=lUk0RBlgvKo‎ 21/03/2011 - Vídeo enviado por amjadmath El poeta palestino Mahmud Darwish-محمود درويش El cantante libanes Marcel Khalife- مارسيل خليفة A MI MADRE Añoro el pan de mi ... ...

Ler mais

A poesia palestina de resistência: O cantar dos que não se rendem

A poesia palestina de resistência: O cantar dos que não se rendem Apesar da forte repressão à arte popular — “A democracia israelense não suporta que os palestinos cantem”, disse uma vez o poeta Tawfic Zayyad — a poesia daquele povo árabe não é “marginal”. Como disse o peruano Julio Carmona, “marginal é a poesia que a estética dominante pontifica ou institucionaliza; ao se tomar o povo como pedra de toque ( ...

Ler mais

CONFISSÃO

CONFISSÃO 20/04/2007 Mahmud Darwish  Sonhei com um casamento Sonhei com um par de olhos enormes Sonhei com a garota das traças Sonhei com uma oliveira que não se vende Por uns poucos centavos Sonhei com as impossíveis muradas da história Sonhei com o cheiro das amendoeiras Amparando as tristezas das longas noites Sonhei com a família E os braços de minha irmã Me protegendo como um escudo de hermoísmo Sonhei ...

Ler mais

O LIMOEIRO

O LIMOEIRO 20/04/2007 Mahmud Darwish  Tínhamos atrás das grades Um limoeiro As frutas amareladas brilhavam como lâmpadas As flores eram um leque cheiroso no nosso bairro Tínhamos, atrás das grades Um limeiro. Nosso Mas, para fazer enfeites com seus galhos E perfume das suas flores O cortaram Ficamos Sem o nosso limoeiro Nossos olhos Nunca mais viram a primavera. ...

Ler mais

Biografia de Mahmud Darwish

Biografia de Mahmud Darwish 20/04/2007 Mahmud Darwish, palestino nascido no ano de 1942. Como muitos dos poetas da resistência palestina, teve desde o princípio uma clara militância política e foi preso em Israel. Abandonou esse país no começo dos anos 70, viveu em alguns países socialistas europeus, no Egito, e depois vários anos em Beirute, onde se transformou em um dos membros mais destacados do Centro d ...

Ler mais

MORTA No. 18

MORTA No. 18 20/04/2007  Mahmud Darwish As oliveiras eram uma vez um bosque verde Eram o céu, meu amor Parecia uma selva azul Porque mudaram nesta tarde? Na curva do caminhão dos trablhadores Tranqüilamente Nos mandaram ficar em pé Tranqüilamente Meu coração foi uma vez Como um pássaro azul, Ó ninho de meu amado! Eu estava com teu pano, e era muito branco O que o manchou nesta tarde? Não entendo nada, meu a ...

Ler mais

À ESPERA DOS QUE VOLTARÃO

À ESPERA DOS QUE VOLTARÃO 20/04/2007 Mahmud Darwish Meu povo plantou suas tendas na areia E estou acordado com achuva Sou filho de Ulisses aquele que esperou o correio do Norte Um marinheiro me chamou, mas eu não parti Atraquei o barco e subi ao cume de uma montanha - Ó rocha sobre a qual meu pai orou Para que fosse abrigo do rebelde Eu não te venderia por diamantes Eu não partirei Eu não partirei As vozes ...

Ler mais
Voltar para o topo