17 de Abril: dia do prisioneiro Reviewed by Momizat on . Apelo de Solidariedade Said Atebah, preso politico desde 1977 Caros Amigos, Enquanto vida vai de forma normal para muitas pessoas, no mundo inteiro, aproximadam Apelo de Solidariedade Said Atebah, preso politico desde 1977 Caros Amigos, Enquanto vida vai de forma normal para muitas pessoas, no mundo inteiro, aproximadam Rating: 0

17 de Abril: dia do prisioneiro

Apelo de Solidariedade

Said Atebah, preso politico desde 1977

Caros Amigos,

Enquanto vida vai de forma normal para muitas pessoas, no mundo inteiro, aproximadamente 12.000 palestinos estão sendo oprimidos nos cárceres israelenses sem nenhuma razão a não ser sua tentativa contínua em exigir a liberdade para o seu povo .

Os 12.000 palestinos que residem dentro dos territórios pertencente à Autoridade Palestina, é equivalente a um milhão de americanos nas prisão nos Estados Unidos e 3,5 milhões de chineses encarcerados na República do Povo da China. Alguns prisioneiros palestinos desperdiçaram trinta anos atrás das grades. Entre eles há 350 crianças menores de idade, 180 mulheres, e pessoas de idade. Algumas mulheres deram à luz dentro de cadeia e outros foram violentamente separadas de suas crianças.

Vários destes prisioneiros morreram em conseqüência de negligência médica. Cada uma destas 12.000 pessoas são privadas de suas necessidades básicas. Além de estarem em celas lotadas dia e noite, os centros de detenção são muito quentes e sufocantes no verão, e muito frio e úmido no inverno. Os odores dos banheiros imundos e o mau cheiro sufocam os prisioneiros. Todos prisioneiros sofrem com uma política intencional de regime de fome. O choro dos bebês, o gemido dos pacientes e as lágrimas dos oprimidos quebrariam o coração de qualquer visitante da prisão.

A autoridade israelense transgride a Lei Internacional com referência aos Direitos dos palestinos e se abstêm de toda responsabilidade em fornecer as necessidades básicas à vida . Impede as famílias dos prisioneiros e a Autoridade Nacional Palestina responsável de fornecerem aos prisioneiros itens de primeira necessidade. Os israelenses promovem intencionalmente a detenção dos prisioneiros dentro das **“fronteiras israelenses” (fora de áreas palestinas), assim contrariando o artigo 49 da Quarta Convenção de Genebra. Isto lhes dá o pretexto de proibirem as famílias dos prisioneiros de visitarem os/as.
Nosso dever como seres humanos nos obriga a quebrarmos o nosso silêncio perante tais crimes, em apoio aos nossos companheiros combatentes pela liberdade que só exigem seu Direito à Liberdade e Independência.

Devemos fecharmos os nossos olhos à tortura deles ?
Devemos ignorar seus Direitos Humanos ?
Chamamos vocês à mostrarem o seu apoio tomando medidas e lançando campanhas políticas eficientes em cada cidade e vilarejo para se mobilizarem num movimento global imediato, para pressionarem a ***autoridade israelense de ocupação para a libertação destes prisioneiros e a aplicação da Lei internacional em cada caso.
A humanidade de cada um de nós está sendo julgada, então deixe-nos protegê-la apoiando os prisioneiros palestinos perseguidos dentro dos cárceres israelense. Deixe-nos transformas os textos de Direitos Humanos numa rebelião contra a injustiça… de modo que estas Leis não se transformen numa filosofia morta dentro do silêncio frio da comunidade internacional.

Deixe um comentário

Você deve ser logged em para postar um comentário.

Voltar para o topo